Comunicado 28/04

Nós, trabalhadores do Pensando e Construindo Nosso Mundo, neste momento crítico que o País atravessa, compreendemos que o posicionamento acerca das reformas trabalhista (PL 6787) e previdenciária (PEC 287) propostas pelo Governo é necessária por afetar diretamente a qualidade da educação e da prestação de serviços educacionais oferecidos a nossa comunidade, uma vez que atingem diretamente as condições de trabalho dos profissionais deste Espaço e de todas as instituições escolares, sejam as regulares quanto as de contraturno.

Além disso, nosso posicionamento - contrário a essas reformas, sem qualquer vinculação político-partidária - está de acordo com a educação na qual acreditamos: democrática, dialógica, reflexiva e que valoriza as diferenças.

Consideramos que essas propostas (fim da aposentadoria por tempo de contribuição, exigência de 40 anos de contribuição para a aposentadoria integral, fim da aposentadoria especial dos professores, entre outros retrocessos) são afrontas aos direitos dos trabalhadores, conquistados arduamente por meio de diversas lutas travadas historicamente. Compreendemos também que a proposição de tais medidas em conjunto e de forma tão acelerada visa dispersar a oposição naturalmente suscitada entre os trabalhadores e as trabalhadoras deste país em diversas frentes.

Portanto, por não aceitarmos a perda desses direitos, nos solidarizamos com a paralisação/protesto nacional ao longo do dia 28 de abril (sexta-feira), por compreendê-la adequada dentro de um Estado Democrático de Direito em que a liberdade de expressão de seus cidadãos, de forma pacífica, deve ser sempre valorizada.

Por outro lado, igualmente compreendemos as dificuldades acarretadas às famílias pela paralisação da comunidade escolar.

Desse modo, de modo a conciliar esses interesses, igualmente legítimos, estaremos abertos no dia de amanhã, em ambos os turnos, pedindo, desde já a compreensão de todos quanto a eventual redução de nossa equipe.